Telhados de moradia para construir de forma sustentável

shutterstock_92904619

Tendo mencionado as casas de construção modular como uma das alternativas low-cost à construção de moradias tradicionais surge agora outro tema também relevante nos dias de hoje: a escolha de telhados de moradia para construir de forma sustentável.

A verdade é que as casas de construção modular são frequentemente escolhidas entre os proprietários que procuram uma vida eco friendly, pois são geralmente projectadas com a sustentabilidade em mente, quer em termos de design como funcionalidade.

A escolha de telhados de moradia para construir de forma sustentável parece ser também uma das preocupações, sendo que a nova moda e alternativa aos telhados e lajes tradicionais são os chamados telhados verdes ou ecológicos, isto é, uma técnica de arquitectura que consiste na aplicação e uso de solo ou substrato e vegetação sobre uma camada impermeável instalada na cobertura de uma residência de construção modular.

Este tipo de telhados tem a vantagem de facilitar a drenagem – facilitando a gestão de grandes cargas de água pluviais – e fornecer isolamento acústico e térmico, bem como o produzir um diferencial estético e ambiental ao nível da construção modular. Por seu turno, permite também compensar parcialmente a área impermeável que foi ocupada com a construção da moradia e criar um ambiente muito mais fresco do que outros telhados, mantendo o edifício protegido contra temperaturas extremas.

Em ambientes urbanos, que são extremamente artificiais, a aplicação de telhados verdes promove o reequilíbrio ambiental. Com efeito, a presença de telhados verdes aumenta o sequestro de carbono, facilita a circulação atmosférica e conduz à dispersão do calor acumulado das cidades.

Relativamente aos custos da instalação de telhados de moradia para construir de forma sustentável, estes dependem do sistema e da tecnologia adoptados, mas geralmente implicam um grande investimento.

Por seu turno, Portugal carece de normas legais para este tipo de coberturas e não possui uma política ambiental urbana que incentive promotores e diversifique o mercado. Ainda assim, existem já empresas de construção civil especialistas neste tipo de edificação, pelo que os consumidores têm à disposição as soluções mais inovadoras do mercado nesta matéria.